A VITALIDADE DOS ALIMENTOS

A Vitalidade ou “Força de Vida” é a energia que vem do Cosmos e da Terra que estimulam os solos, as plantas, os alimentos e se concentram neles. Por isso que nós nos alimentamos para receber a Vitalidade do Cosmos através dos alimentos.

A Vitalidade é determinada pelo que ingerimos diariamente. Uma Nutrição pobre não pode ser compensada com pílulas milagrosas…

É importante proporcionar ao organismo uma Nutrição Vital que alivie a sobrecarga intoxicante do mundo moderno: alimentos industrializados, stress, poluição do ar, da água…

Quando isto acontece, a energia que seria consumida para digerir os alimentos inadequados é desviada para realizar a saúde e regeneração do corpo = Rejuvenescer.

Os Alimentos Vivos são a Vitalidade pura, a Natureza nos oferece em abundância, são eles: as frutas, legumes, verduras, ervas, leguminosas (feijões, lentilha, ervilha, grão de bico, amendoim), grão integrais, sementes oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, gergelim…), cereais integrais, germinados e brotos.

Para estarem vitalmente ativos devem ser consumidos frescos, crus, maduros e de preferência orgânicos.

E, por que frescos e crus? Porque as enzimas e algumas vitaminas que se perdem com o cozimento, estarão preservadas.

Quando comemos alimentos sem enzimas (alimentos cozidos, alimentos industrializados = desvitalizados) temos de usar as nossas próprias enzimas corporais. No nosso corpo, as enzimas não acabam, mas o organismo reage pedindo mais comida para fabricar mais enzimas, para digerir os alimentos sem enzimas… E isso, se torna um ciclo vicioso.

Os Alimentos Vivos são os mais ricos em vitaminas, minerais, fibras, enzimas, aminoácidos, hormônios vegetais, antioxidantes e vitalidade.

São chamados alimentos NUTRACÊUTICOS, que nutrem e curam. O organismo assimila esses nutrientes e elimina as toxinas.

Nada se compara aos Alimentos Vivos, além da energia da Terra, da Energia do Sol (Prana), da Água e do Ar, existe uma cumplicidade entre seus componentes – eles são VIVOS, portanto têm propósitos claros da natureza e da perpetuação da VIDA.

E nas pílulas, falta-lhes esta “alguma coisa” que os cientistas não conseguem sintetizar… A Energia Vital dos alimentos, algo que nenhuma tecnologia pode construir. A presença dessa energia é que diferencia uma laranja de uma pastilha de vitamina C.   

CLASSIFICAÇÃO DOS ALIMENTOS PELA SUA VITALIDADE

1) Alimentos que Diminuem a Vida » BIOESTÁTICOS

São os alimentos cuja energia vital foi reduzida pelo tempo (alimentos crus armazenados por muito tempo), pelo frio (refrigeração e congelamento) ou pelo calor (cozimento).

Estão inclusos as carnes, o leite e derivados e os ovos.

Produtos de origem animal putrefazem com maior facilidade, motivo pelo qual necessitam ser conservados, cozidos ou pasteurizados (processos que reduzem a quantidade e vitalidade do alimento).

Seu consumo garante o funcionamento mínimo de nosso organismo, provoca o envelhecimento das células, porque não fornece as substâncias vivas necessárias para sua saudável regeneração.

O consumo desses alimentos faz parte da tecnologia que trouxe a praticidade e a segurança, é o resultado de hábitos da vida moderna.

2) Alimentos que Destroem a Vida » BIOCÍDICOS

São os alimentos que predominam na alimentação moderna. Alimentos cuja energia vital foi destruída por processos físicos ou químicos de refinação, conservação ou preparação.

Foram inventados pelo homem… Que ganham em praticidade, perdem em qualidade, ganham em prazer, perdem em saúde.

Intoxicam o organismo com substâncias químicas: acidulantes, corantes, conservantes, aromatizantes, glutamato monossódico, gordura vegetal hidrogenada e Trans, açúcar refinado, sal, bebidas alcoólicas, frituras, margarina…

Os processos de agricultura e de industrialização dos alimentos introduzem em nosso corpo substâncias que diminuem o instinto alimentar, perturbam a assimilação e bloqueiam a eliminação.

Enfraquecem pouco a pouco o sistema imunológico, causam vários problemas de saúde e abrem portas às chamadas doenças da civilização moderna: doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, hipertensão, depressão e outras doenças degenerativas e mentais.

Mas, comendo em pequenas quantidades, os alimentos cuja natureza foi alterada, podemos continuar a desfrutar alegremente da vida social. Pois não há possibilidades de eliminá-los da sociedade moderna, mas devemos buscar uma redução gradual do seu consumo.

Comece seu aprendizado da alimentação saudável substituindo os alimentos desvitalizados por alimentos com Vitalidade!

3) Alimentos que Geram a Vida » BIOGÊNICOS

São os germinados e os brotos dos grãos, dos cereais, das leguminosas, das ervas e das hortaliças.

Energeticamente representam um Ser com todo o material genético para crescer, expandir e frutificar;

São sementes que estão fazendo de tudo para desabrochar e virar uma plantinha. E é esta força de vida que elas transmitem ao organismo.

Ao ingerirmos esse tipo de alimento fresco e cru, ocorre um reforço na vitalidade e regeneração das células através das vitaminas, minerais, aminoácidos, enzimas, hormônios vegetais…

Focando pelo aspecto da QUALIDADE, deve ser à base da alimentação. Ou seja, todos os dias fazer uso deste tipo de alimento, ainda que em pequena quantidade.

4) Alimentos que Ativam a Vida » BIOATIVOS

São as frutas, raízes, hortaliças, leguminosas, nozes, castanhas, grãos e cereais integrais maduros, crus ou germinados.

Do ponto de vista QUANTITATIVO, devem ser considerados como a base da alimentação. O ideal é consumirmos diariamente 50% destes alimentos frescos e crus;

Estes alimentos apresentam propriedades depurativas. Ricos em fibras e água, fazem uma “faxina” no organismo, eliminando as toxinas e resíduos.

Os alimentos que geram a vida, e os alimentos que ativam a vida são considerados ALIMENTOS VIVOS. Foram destinados pela natureza a assegurar a vida, o bem-estar do ser humano. Seu consumo traz vitalidade e saúde em qualquer idade!

 

 

 

 

 

 

About these ads